As vezes eu vejo as pessoas de sucesso falando e fico impressionado (leia-se inveja) com uma coisa em particular. Todos eles falam no prazer que tem em fazer os seus trabalhos. Como ficam felizes em gastar horas e mais horas da sua vida dedicando-se a aumentar as vendas do seu setor, motivar equipes, fazendo planilhas no Excel, tirando xérox de textos edificantes, tudo para ganhar a aprovação do chefe e uma possível comissão em um espaço curto de tempo (leia-se 3 anos). Eu sempre achei que isso era mentira, que os sucedidos falavam isso para impressionar os outros. Hoje eu tenho certeza.

E isso é uma das coisas que me faltam para ser um homem sucedido. Mentir mais. Eu não sou um poço de honestidade, longe disso. Minto para mim mesmo todos os dias. Minto para os outros a cada minuto:

– Você está feliz, Ed?

– Muito feliz, chefe.

Ou:

– Como você está no emprego, Ed?

– Muito bem, logo logo eu vou ser gerente. Eu amo o meu trabalho.

Ou até mesmo:

– E aí, meu amor, foi bom pra você?

– Nossa Ed! Nunca tive homem igual. – e eu penso: Nossa, eu sou foda. Sou superior a todos os outros 30 caras que ela transou nesse último ano!

Mas não é mais forte quem sabe mentir e sim quem sabe mentir com qualidade. E por isso que os sucedidos perdem horas e horas da sua vida após o expediente trabalhando. Eles não estão estudando técnicas revolucionárias de vendas ou de atendimento. Eles estão arrumando novas maneiras de mentir. Não importa, você não vai vender mais, simplesmente pensando que vai vender mais. Eu passei a minha vida inteira pensando em ficar com mais garotas e a minha média de 3,2 por ano nunca foi ultrapassada. Quando eu comecei a ganhar salários com três dígitos, eu pensei que estava chegando em algum lugar. Mas quando descobri que o salário de um estagiário já está bem próximo de três dígitos eu vi que esse lugar não era tão bom quanto eu esperava.

O que eu deveria fazer? Mentir mais e mentir com mais qualidade. Tipo:

– Você está feliz, Ed?

– Nem um pouco, chefe. Mesmo com o pessoal batendo as metas de vendas mês após mês, acredito que com técnicas mais inovadoras e abordagens mais incisivas poderemos dobras esses números em alguns meses.  (Qualquer chefe gosta de frases que contenham as palavras “meta”, “dobrar” e “números”).

Ou:

– Como você está no emprego, Ed?

– Está uma bosta. Querem me dar uma comissão de gerente, mas ainda acho muito limitado para o meu potencial. O pessoal ainda está usando técnicas de 10 anos atrás. Ainda por cima aquelas duas estagiárias cachorras não saem do meu pé. O que uma bela foda, não faz? (Qualquer amigo gosta de papos que começam com ascensão profissional e acabam em sacanagem no escritório.)

Ou até mesmo:

– Olha minha filha, se isso é o que você chama de sexo, não me admira os trinta chutes que você levou na bunda nesse último ano. (Nenhuma mulher gosta de ser esculachada desse jeito, mas não sei por que elas gamam por um canalha).

Mentir mais e mentir com qualidade. Esse é o lema. Não é verdade?